Inicio > Mis eListas > humboldt > Mensajes

 Índice de Mensajes 
 Mensajes 9495 al 9514 
AsuntoAutor
Feliz Día del Geóg elinabm
Re: NoticiasdelCeH Santiago
Re: NoticiasdelCeH Florenci
Re: NoticiasdelCeH Silvia N
Re: NoticiasdelCeH Viviana
764/07 - Día del G noticias
Fw: ¡Felíz Día del noticias
765/07 - ¡Feliz Dí noticias
766/07 - Jornadas noticias
767/07 - Presentac noticias
Re: NoticiasdelCeH Daniel L
768/07 - Advancing noticias
Rv: IXCongreso_CA Carvajal
769/07 - 10mo ENCU noticias
770/07 - AGRICULTU noticias
771/07 - POLÍTICAS noticias
772/07 - INTEGRAÇÃ noticias
773/07 - Consulta noticias
II Encuentro Enseñ Damián F
774/07 - Turismo e noticias
 << 20 ant. | 20 sig. >>
 
Noticias del Cehu
Página principal    Mensajes | Enviar Mensaje | Ficheros | Datos | Encuestas | Eventos | Mis Preferencias

Mostrando mensaje 9755     < Anterior | Siguiente >
Responder a este mensaje
Asunto:NoticiasdelCeHu 775/07 - UM OLHAR GEOGRÁFICO SOBRE OS IMPACTOS AMBIENTAI S DO TURISMO
Fecha:Martes, 18 de Diciembre, 2007  13:11:24 (-0300)
Autor:noticiasdelcehu <noticiasdelcehu @..................ar>

NCeHu 775/07
 

UM OLHAR GEOGRÁFICO SOBRE OS IMPACTOS AMBIENTAIS DO TURISMO

                                                                                    

   José Rogério Braz de Figueiredo

                                                                                                      rfrogeriogeo@yahoo.com.br 

                                                                                                      Universidade do Estado do Rio de Janeiro

 

                                                                         

RESUMO

 

Este trabalho está sendo realizado a partir dos estudos de observação empírica e de um questionário que foi aplicado aos moradores, aos veranistas e turistas na tentativa de entender como o turismo colaborou para o desenvolvimento da região e ao mesmo tempo contribuiu para os impactos ambientais na natureza local do distrito de Conceição de Jacareí, que faz parte do município de Mangaratiba no Estado do Rio de Janeiro. Este distrito é apenas um dos vários distritos e municípios da chamada região da Costa Verde (região que se estende desde o distrito de Itacuruça até o município de Paraty no sul do Estado, formada por praias, cachoeiras e montanhas).

 O objetivo desse trabalho é procurar entender a importância do turismo, como ele interferiu (interfere), qual a sua importância para o desenvolvimento do distrito e quais as conseqüências causadas ao meio ambiente e a natureza local.

Ao término do mesmo, entregar uma cópia do trabalho na sede do município de Mangaratiba, para que possa ser utilizado de forma a ajudar na melhoria das condições de vida daquela comunidade, criando condições de uso dos recursos naturais com o mínimo possível de impactos ambientais, podendo dessa forma o distrito continuar a desenvolver a sua atividade turística com a participação da comunidade e do município de forma a criar um ambiente propício ao bom desenvolvimento das atividades turísticas, com o mínimo de agressão possível à natureza local. Uma vez que não é possível reverter totalmente o quadro atual de degradação ambiental, que sejam realizadas ações que visem amenizar esta situação atual, colaborando dessa forma com a preservação da natureza local que ainda existe.

 

Palavras-chave: comunidade, desenvolvimento, impactos e turismo.

 

INTRODUÇÃO

 

O distrito de Conceição de Jacareí fica a aproximadamente 30 minutos do município de Angra dos Reis e 30 minutos da sua sede administrativa, o município de Mangaratiba. Por sua posição geográfica bastante estratégica, há bastante tempo esse distrito vem sendo freqüentado por uma gama muito grande de turistas (serve de base para ida a Ilha Grande, pois em Angra dos Reis, devido a sua grande importância turística, os serviços turísticos oferecidos são muito mais caros), haja vista que sua população local que é de aproximadamente 2385 habitantes, sendo composta de 1260 homens e 1125 mulheres (IBGE-censo 2000), com a aproximação dos feriados prolongados e a alta estação do verão sua população quadruplica, causando com isso graves problemas de infra-estrutura na localidade.

Essa mesma comunidade local não estava (está) preparada para atender uma demanda tão grande de pessoas, com isso os serviços que são oferecidos à comunidade local de uma forma um tanto quanto precária, nesses períodos de feriados prolongados e principalmente na alta temporada do verão se complicam ainda mais. Contando ainda com outro fator agravante desta situação caótica que se instala no distrito, que são o grande número de trabalhadores informais que todo dia surgem no distrito pela manhã, só retornando para suas origens no cair da noite, vendendo todo tipo de mercadoria que se possa imaginar, sendo que muitos desses trabalhadores permanecem no próprio distrito, dormindo em suas próprias barracas com mínimas condições de higiene possíveis.

Somados todos esses fatores o que se vê é um quadro bastante complexo e de difícil solução, necessitando que medidas sejam tomadas urgentes para amenizar os problemas.

 

O recorte temporal escolhido para realização deste trabalho que está sendo desenvolvido é a partir do ano de 1992 até o ano de 2007, compreendendo assim os últimos 15 anos de atividades turísticas nesse distrito, com seus impactos positivos e negativos na população e negativos na natureza local que foi bastante modificada.

 A população local desse distrito basicamente vivia da pesca (durante todo o ano) e de pequenas atividades comerciais, principalmente realizados durante a temporada de verão e feriados prolongados, a infra-estrutura do distrito também sempre foi bastante precária, com apenas um pequeno posto médico para atendimento ambulatorial, duas escolas de ensino básico (nível médio apenas em Angra dos Reis ou Mangaratiba), um pequeno mercado (faltando muitos produtos básicos), duas padarias, uma farmácia (que na maioria das vezes não tinha o remédio que se buscava), pequenos varejos, três pequenas pousadas com o mínimo de conforto e um hotel que atendia exclusivamente o seu quadro de sócios (como a sua situação financeira não ia bem,  atualmente passou a aceitar qualquer cliente, o hotel não possui estrela e o conforto é mínimo).

Grande parte da população era composta de moradores com baixa escolaridade e os jovens não tinham muitas perspectivas de vida (ficando grande parte ociosa por falta de escolas ou trabalho), com isso passavam grande parte do dia na mata caçando, na praia ou na cachoeira, os que queria estudar tinham que se deslocar para Angra dos Reis ou Mangaratiba.

 

Conceição de Jacareí sempre foi um local bastante calmo e agradável e possuía uma praia de areia monazítica bastante calma e com grande fartura de peixes (era possível observar todas as tardes, famílias pescando na praia e saindo com seus baldes cheios de peixes), nas cachoeiras de águas límpidas e transparentes  era possível beber de sua água e tomar banho despreocupado, além de encomendar a um menino da localidade “camarões fresquinhos” que eram pegos na própria cachoeira e entregues ainda vivos pulando no balde e se acertasse um preço melhor, ainda conseguiria pitus e lagostins de tamanho considerável, esse era o modo de vida da população de Conceição de Jacareí até aproximadamente o ano de 1995.

A partir desse ano de 1995, a natureza local de Conceição de Jacareí começou a ser modificada bastante significativamente, principalmente quando começou a ser construído na região um grande complexo hoteleiro tipo Resort (venda de casas de veraneio (segunda residência), residências de alto luxo que viria a atender principalmente a elite classe A de São Paulo e aluguel de apartamentos tipo Flats, com marinas para barcos, lanchas e veleiros, permitindo também a atracação de iates de grande calado).

 Este empreendimento foi visto pela comunidade local como um acontecimento de grande importância, pois os trabalhadores da construção civil foram na sua grande maioria captados no próprio distrito (gerando dessa forma trabalho para a população local) e também para municípios vizinhos.

Como a mão-de-obra dos trabalhadores da comunidade não era qualificada, normalmente eram utilizados como serventes, vigias, serviços de limpeza e outros serviços que não necessitassem de nenhum tipo de qualificação. Para uma comunidade que tinha pouquíssima ou nenhuma oferta de trabalho, esta ocupação de certa forma melhorava as condições de vida dos moradores do distrito, acontece que com o início das obras começaram a surgir os primeiros problemas.

 Diversas explosões com uso de dinamite, para o desmanche de morros para a construção do empreendimento e também para construção da marina, começaram a causar os primeiros danos na natureza local, que veio dessa forma atingir principalmente a população mais antiga de moradores que viviam basicamente da pesca.  As explosões com dinamite quase que diárias causaram o desaparecimento de peixes na região e mesmo pescadores que possuíam cercos (existiam dois grandes cercos, um ligado ao continente e outro a ligado a ilha Ceia que fica de frente a praia de Conceição de Jacareí), começaram a passar por dificuldades financeiras, alguns inclusive abandonando a atividade da pesca, após toda uma vida dedicada à mesma. A única peixaria que existia e que também servia de entreposto para outras localidades, fechou as suas portas definitivamente. Os poucos que resistiram à atividade da pesca, basicamente o fizeram por não ter condições de mudar de atividade ou ainda por não ter habilidade em outro tipo de tarefa que não fosse aquela desenvolvida durante toda a sua vida.

 

O impacto ambiental não é, obviamente, só resultado (de uma           

determinada ação realizada sobre o ambiente): é relação (de

mudanças sociais e ecológicas  em movimento). Se impacto

ambiental é, portanto, movimento o tempo todo, ao fixar impacto

ambiental ou ao retratá-lo  em suas pesquisas o cientista está

analisando um estágio do movimento que continua. Sua pesquisa 

tem, acima de tudo, a importância de um registro histórico, essencial

ao conhecimento do conjunto de um processo, que não finaliza, mas

se redireciona, com as ações mitigadoras. (COELHO, 2006, p. 25)

 

 Dois grandes alojamentos foram construídos no distrito para dar suporte à obra (aproximadamente 500 trabalhadores oriundos de outros municípios e do próprio distrito faziam parte desse contingente), e com esse grande empreendimento que estava sendo construído, alguns moradores começaram a realizar atividades que atendiam as necessidades desses trabalhadores e como conseqüência aumentou a oferta de serviços e mercadorias na região.

Mesmo crescendo desordenadamente sem nenhum controle ou orientação dos órgãos municipais responsáveis, Conceição de Jacareí começava a vislumbrar algumas melhoras na transformação do seu espaço urbano.

Segundo Moraes e Costa (1999, p.122) a sociedade valoriza o espaço, dessa maneira as formas espaciais que são criadas tem um papel fundamental na economia dominante, fazendo com que as diversas particularidades dos modos de produção tenham sua valorização diferenciada, por isso este empreendimento imobiliário de grande impacto social no distrito de Conceição de Jacareí, fez com que os seus espaços se tornassem altamente valorizados, terrenos e imóveis se valorizaram e casas velhas e antigas deram lugar a novos prédios, casas e lojas comerciais. Tendo ainda outros agravantes principais, que eram as casas históricas em estilo colonial, que não eram feitas às manutenções apropriadas e com o passar do tempo foram se deteriorando cada vez mais.

Como os proprietários não tinham dinheiro para reformá-las, simplesmente deixavam que o próprio tempo se encarregasse de destruir as casas, pois a prefeitura de Mangaratiba não permitia que fossem feitas mudanças na arquitetura das casas, toda reforma deveria respeitar a arquitetura colonial das casas, o que para muitos era impossível de se realizar, pois esse tipo de reforma era muito cara exigindo uma mão-de-obra especializada dessa forma o pouco que resta de passado histórico na localidade é a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, que comemora sua data de aniversário no dia 08/12, sempre com uma grande festa no distrito o que já se tornou atração turística também.

Todas essas mudanças ocorridas no distrito de Conceição de Jacareí, a partir da construção desse grande empreendimento turístico, a construção de casas, lojas, prédios, asfaltamento de ruas (impermeabilizando o solo e aumentando o escoamento superficial das águas), trouxeram alterações significativas para a natureza local.

 “O turismo dá também inicio ao processo de especulação imobiliária que, ao valorizar novas áreas, faz com que suas características ambientais se tornem completamente secundárias.” (MENDONÇA, 1999, p.22.).

 Além dos problemas com as explosões já citadas no início do trabalho, um outro grave problema e também bastante impactante, foi com certeza à construção de casas de veraneio ao longo das margens direita e esquerda das duas cachoeiras principais que cortam o distrito. Estas construções foram sendo realizadas em áreas que eram vendidas por grileiros ao longo dos cursos das cachoeiras, não houve a preocupação de preservação das matas ciliares, sendo derrubadas diversas árvores da Mata Atlântica para aproveitamento de espaço para novas construções. Pouquíssimas casas construíram sumidouros ou filtros biológicos, a grande maioria jogava (ainda jogam) o esgoto in natura direto na cachoeira, o que ao longo dos anos fez desaparecerem totalmente camarões, pitus e lagostins que eram abundantes na região.

Não é mais possível beber a água ou tomar banho na parte baixa da cachoeira (400 metros até a praia) sem correr o risco de se contaminar ou contrair alguma doença de pele, tamanha é a quantidade de esgoto na água.

 Para quem é conhecedor do local, ainda existe na própria cachoeira na parte alta da serra, caminhando aproximadamente uns 800 metros por dentro da mata em uma trilha demarcada, um local conhecido como “poço do encantado” (quinze metros de comprimento, cinco de largura e três de profundidade),  onde ainda é possível tomar banho e beber água sem riscos, o problema é que poucas pessoas conhecem este local aprazível e de grande beleza cênica (os turistas quase não conhecem), a maioria dos turistas quando chegam não são orientados e normalmente tomam banho na cachoeira poluída ou ficam na praia com seus filhos se banhando “no rio que vem da cachoeira”, acontece que este rio também está poluído, e está poluindo também a praia e a areia, e esses turistas não são orientados para os riscos que estão correndo.

 

O turismo é uma atividade que pode estar intimamente relacionada

com o meio físico, em especial aquele que está vinculado à

exploração das belezas naturais de uma determinada área, o

turismo de aventura, o turismo ecológico, o turismo saúde, o

turismo lazer, o turismo rural, o turismo climático e hidrotermal etc.       

Dessa forma, o conhecimento geomorfológico da área a ser

aproveitada para essa atividade econômica pode tornar a atividade  

mais rentável, segura e menos impactante.

Tem sido a atividade econômica que mais tem crescido nas últimas

décadas, acontecendo praticamente em qualquer parte da superfície

terrestre. (GUERRA E MARÇAL, 2006, p. 42.).

 

                               

Na praia de Conceição de Jacareí desembocam dois rios provenientes das duas cachoeiras que cortam o distrito, sendo que um desses rios e que possui um fluxo de águas menor e que desemboca no canto esquerdo da praia, está totalmente poluído por esgoto devido à grande quantidade de casas que despejam seus esgotos diariamente e diretamente na cachoeira. Independente da quantidade de turistas que se encontre no distrito, esse rio tem a sua coloração bastante escura e apresenta uns cheiros bastante desagradáveis, fazendo com que os próprios moradores evitem este lado da praia (em época de finais de semana prolongados ou na alta estação isso não ocorre, ficando bastante cheio do mesmo jeito, não por moradores, mas por turistas desavisados), o outro rio como tem um fluxo de água bastante grande apresenta a coloração das suas águas transparentes e sem nenhum cheiro, o que apresenta a falsa impressão de estar totalmente límpido, fazendo com que os turistas coloquem suas cadeiras de praia dentro da água e as crianças brinquem em volta, acontece que este rio também está poluído, apenas com um grau menor de poluição (com isso tanto os moradores, quanto os turistas se banham tranqüilamente nessa água desconhecendo a real situação) e por fim outro problema que não existia na praia de Conceição de Jacareí é a grande quantidade de óleo na água, causado pela marina que foi construída em frente à praia.

 Todos esses problemas que se apresentam poderiam ser de certa forma minimizados, no momento do início da construção do empreendimento turístico, com uma política séria e de acordo com as normas ambientais vigentes, procurando dessa maneira impactar o menos possível a natureza local.

Da mesma forma o município de Mangaratiba antes de permitir a construção de casas ao longo das margens das cachoeiras, deveria orientar os moradores e veranistas sobre o limite mínimo de proteção de margens e matas ciliares, determinar a instalação de filtros biológicos e fossas sépticas (evitando assim que o esgoto fosse jogado in natura nas cachoeiras), dessa forma às cachoeiras não estariam tão seriamente degradadas como agora, as matas ciliares menos agredidas, com a preservação das mesmas e uma interferência antrópica menor na  natureza local.

 

Segundo Coriolano (2003, p. 26), o desenvolvimento do ser humano deve ter sua centralidade voltada para o ser e não o ter, fazendo com que o desenvolvimento local e turístico deva ser voltado para a escala humana, onde a busca por colaboração e parceria devem ser uma constante na busca da satisfação do homem, pois as suas potencialidades poderão propiciar uma condição de vida digna como verdadeiro cidadão. A partir do momento em que o ser humano é respeitado em sua dignidade de cidadão, as relações interpessoais se tornam mais freqüentes e ao mesmo tempo pode-se tornar a base para que o indivíduo possa assim se desenvolver, possa sentir-se capaz, realizado a partir do reconhecimento do outro, enquanto responsável por sua própria condição social.

 

METODOLOGIA

 

A metodologia que foi usada para desenvolver esse trabalho partiu a princípio da observação empírica da localidade, pois como freqüentador assíduo desse distrito há muitos anos, venho observando ao longo dos anos como a degradação ambiental se tornou a cada dia mais acentuada, na mesma medida em que a comunidade ia se desenvolvendo, melhorando seu padrão e qualidade de vida, a grande maioria dos jovens da localidade já tinham ou desenvolviam alguma atividade que lhes permitiam ganhar algum dinheiro, os mais velhos alugavam suas casas para veranistas, crescendo com isso também o mercado da informalidade na localidade, não por moradores da comunidade, mas por outros vindos de municípios vizinhos.

 O distrito estava crescendo muito (muitas casas novas surgiam a todo tempo, novas lojas, comércio, construção de um mercado maior, construção de novas pousadas, a prefeitura fazia a parte dela, calçava ruas e construía uma nova escola para atender o ensino médio, construía um novo posto médico atendendo agora pequenas emergências, casos mais graves eram transportados para Angra dos Reis), enfim o progresso chegou com força total, tendo no turismo o seu grande colaborador.

Como o progresso traz diversas transformações para o meio ambiente e para o homem, não se pode esquecer que o grande agente responsável por estas mudanças foi (é) o turismo e que a partir do próprio turismo, pode-se reverter esse quadro, fazendo com que todas essas transformações ocorridas em Conceição de Jacareí, possam então ser revistas e trabalhadas de modo que a natureza local possa ser revitalizada, preservada, conservada e menos impactada.

 

“O desenvolvimento excessivo e mal planejado do turismo afeta o ambiente físico e os destinos” (ARCHER E COOPER, 2002, P.96.). Como já foram mencionadas anteriormente, as mudanças ocorridas na natureza local foram bastante acentuadas. Dessa interferência antrópica, uma que com certeza foi o marco inicial de todo o processo de mudança da natureza local, foi o aterramento de um pequeno manguezal que ficava na boca da barra, essa área de manguezal foi aterrada e grande parte da vegetação nativa derrubada para construção de casas.

 Estas atitudes tiveram grande impacto no curso e fluxo das águas das cachoeiras, que vem diminuindo através dos anos (informação colhida com moradores antigos e por minha observação como freqüentador do local), além da grande quantidade de esgoto lançado nas cachoeiras interferindo e impactando seriamente no ecossistema local. Através dessas observações foi possível verificar que o turismo quando não é realizado de maneira consciente, profissional, planejada, pode trazer sérios riscos à natureza; em contra partida quanto é feito em parceria com outros agentes modeladores do espaço e com comprometimento com o desenvolvimento sustentável do local, torna-se verdadeiramente um elemento capaz de transformar a comunidade positivamente.

                                                                                                      

O turismo é considerado a maior indústria do mundo com um

faturamento estimado em US$ 3,5 trilhões, que em 1995

empregava um trabalhador em cada nove, em termos mundiais.

Trata-se de uma indústria que deveria preocupar-se com o

desenvolvimento sustentado, porque “depende

intrinsecamente dos recursos da natureza e da herança cultural da

sociedade”. Ela vende esses recursos como parte de seu produto

empírico, mas também precisa compartilhar dos mesmos recursos

com outros usuários, inclusive a população local.

Conseqüentemente, é do próprio interesse do turismo buscar

ativamente o desenvolvimento sustentado e cooperar com outros

grupos, setores e governos para garantir a integridade de seus

recursos. (MURPHY, 2002, p. 192.).

 

Além da observação empírica que fiz do local, também foi elaborado um pequeno questionário (segue anexo ao trabalho), em que perguntava diretamente aos moradores da localidade, veranistas e turistas, como os mesmos viam a atuação do turismo em Conceição de Jacareí, seus aspectos positivos e negativos na comunidade e na natureza local, qual a influência e importância que o turismo teve (tem) para o desenvolvimento da comunidade e como a comunidade se comporta com os agentes de turismo que atuam no distrito de Conceição de Jacareí, os resultados serviram dessa maneira para contribuir na análise e abordagem que pretendia desenvolver a partir da minha observação empírica.

Portanto através desses dois tipos de abordagens (empírica e questionário), foi possível elaborar um material em que é possível observar os lados positivos (quando bem trabalhados) e negativos (quando erroneamente trabalhados) da atuação do turismo e suas formas de inserção na comunidade, da mesma observar que a participação ativa da comunidade é muito importante na formação desse processo.

 

OBJETIVO

 

A partir da coleta de dados que foi realizada, da observação empírica e questionário aplicado com os moradores, veranistas e turistas de Conceição de Jacareí, foi possível verificar que em diversos pontos do trabalho, as idéias, sugestões e críticas convergiam para um pensamento comum e que de certa forma atendia aos interesses dos diversos agentes envolvidos.

 Chegou-se a algumas conclusões de que se necessita realmente tomar algumas providências imediatas, para que os efeitos negativos que atualmente agridem a natureza local sejam minimizados, uma vez que com a interferência antrópica bastante acentuada, não é possível eliminar totalmente os problemas ambientais resultantes dessa interferência, nem reverter totalmente o processo que já se encontra em fase bastante avançada, mas acredito que possam ser tomadas medidas que amenizem esse problema.

 

Faz-se necessário então que parcerias sejam firmadas entre a comunidade local, veranistas, agentes turísticos que atuam na localidade e Prefeitura de Mangaratiba, na solução dos problemas já mencionados.

 Nesse contexto o trabalho e pesquisa que foi desenvolvido e realizado, têm o objetivo de minimizar os problemas ambientais encontrados no distrito de Conceição de Jacareí (desmatamento, esgoto in natura na cachoeira, despoluição da praia, preservação de nascentes e outros), procurando orientar moradores, veranistas e turistas no sentido de que todos têm um papel importante na defesa e proteção do meio ambiente.

A participação e integração do turismo com a causa ecológica são dessa forma primordiais para o uso racional e sustentável dos recursos naturais e como conseqüência a preservação da natureza local.

É importante lembrar que o trabalho não está encerrado, que existe muito ainda a ser realizado e que o aprofundamento dessa pesquisa pode de fato colaborar na preservação da natureza local, da comunidade e no trabalho turístico desenvolvido na localidade.

Em breve será encaminhada uma cópia desse trabalho a Secretaria Municipal de Turismo de Mangaratiba, juntamente com uma proposta de aprofundamento dessa pesquisa, com o intuito de que o mesmo seja utilizado para desenvolver políticas públicas que atuem no sentido de preservar as matas, cachoeiras, nascentes e praia no distrito de Conceição de Jacareí.

Esse tipo de mudança de atitude em relação à natureza, com certeza trará alguns benefícios imediatos à comunidade local, contudo o mais importante serão os benefícios alcançados a curto e longo prazo que terão um papel fundamental na sustentabilidade para natureza local, melhorias na qualidade de vida da comunidade local e dos turistas que freqüentam o distrito de Conceição de Jacareí.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

O desenvolvimento desse projeto realizado no distrito de Conceição de Jacareí está sendo feito de modo que fique de certa forma bastante claro ao término do mesmo, a importância que o turismo representa na melhora da condição social da comunidade local, mas ao mesmo tempo mostrar que se não houver um trabalho sério de desenvolvimento com responsabilidade social e ambiental, todo o desenvolvimento que for realizado estará seriamente comprometido, pois o ônus da degradação ambiental será muito mais impactante do que qualquer transformação social positiva que tenha ocorrido na comunidade.

 

É importante que todos os agentes envolvidos estejam trabalhando em harmonia ou pelo menos em parceria de modo que o produto final obtenha uma satisfação local e possivelmente global, por isso é importante que a sociedade, a comunidade local, a Prefeitura de Mangaratiba, os agentes turísticos estejam todos centrados com objetivos comuns, bem definidos e que possam trabalhar de acordo com o que é determinado nas legislações ambientais vigentes, procurando dessa maneira desenvolver e potencializar o turismo, contribuindo para o desenvolvimento da comunidade e com o mínimo possível de agressão a natureza local.

 

Agradeço à colaboração de moradores, comerciantes, veranistas, turistas, Prefeitura de Mangaratiba, enfim a todos que de uma forma ou outra ajudaram nessa pesquisa.

 

    

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

COELHO, Maria Célia Nunes. Impactos ambientais em áreas urbanas – teorias, conceitos e métodos de pesquisa. In: GUERRA, Antonio José Teixeira & CUNHA, Sandra Baptista (Orgs.) Impactos  ambientais  urbanos  no Brasil. 4 ed. Rio de Janeiro:

Bertrand Brasil, 2006. p. 25

 

CORIOLANO, Luzia Neide M.T. O desenvolvimento voltado às condições humanas e o turismo comunitário. In: CORIOLANO, Luzia Neide M.T.; LIMA, Luiz Cruz (Orgs.) Turismo comunitário e responsabilidade socioambiental. Fortaleza: Eduece, 2003.p. 26-41.

 

GUERRA, Antonio José Teixeira & MARÇAL, Mônica dos Santos. Geomorfologia ambiental. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006. 189 p.

 

MENDONÇA, Rita: Turismo ou meio ambiente: uma falsa oposição? In: LEMOS, Amália Inês G. de (Org.) Turismo: impactos socioambientais. 2 ed.São Paulo: Hucitec, 1999. p.19-25.

 

MORAES, Antonio Carlos Robert & COSTA, Wanderley Messias da. A valorização do espaço. 4 ed.São Paulo: Hucitec. 1993. 196 p.

 

ARCHER, Brian & COOPER, Chris. Os impactos positivos e negativos do turismo. In: THEOBALD, William F. (Org.) Turismo global. Tradução de Anna Maria Capovilla, Maria Cristina Guimarães Cupertino e João Ricardo Barros Penteado. 2 ed. São Paulo: Editora SENAC, 2002. p.85-102.

 

MURPHY, Peter E. Turismo e desenvolvimento sustentado. In: ______. Turismo global. Tradução de Anna Maria Capovilla, Maria Cristina Guimarães Cupertino e João Ricardo Barros Penteado. 2 ed. São Paulo: Editora SENAC, 2002. p. 187-203.

 

Municípios brasileiros. Disponível em <http://www.brazilchannel.com.br/municipios/> Acesso em 15 dez. de 2006

 

 Educação ambiental. Disponível em <http://www.ibama.gov.br/> Acesso em 30 nov. 2006

 

 IBGE – Cidades@. Disponível em <http://www.ibge.gov.br/cidadesas/default.php> Acesso em 15 dez. de 2006

 

Turismo. Disponível em <http://www.mangaratiba.rj.gov.br/> Acesso em 29 nov. de 2006

 

   

 

ANEXO 1:

 

 

QUESTIONÁRIO DIRIGIDO AOS MORADORES, VERANISTAS E TURISTAS

 

Qual a influência e importância do turismo para o desenvolvimento de Conceição de Jacareí?

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Quais os aspectos positivos e negativos provocados pelo turismo sobre a comunidade local e sobre a natureza local?

 

Positivos na comunidade __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Negativos na comunidade __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Positivos na natureza __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Negativos na natureza __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Como você percebe a atuação da prefeitura de Mangaratiba no distrito de Conceição de Jacareí?

 

Saneamento básico          () ótimo () bom () regular () ruim () péssimo () desconhece

 

Recolhimento lixo              () ótimo () bom () regular () ruim () péssimo () desconhece

 

Calçamento de ruas            () ótimo () bom () regular () ruim () péssimo () desconhece

 

Água tratada                      () ótimo () bom () regular () ruim () péssimo () desconhece

 

Escolas                              () ótimo () bom () regular () ruim () péssimo () desconhece

 

Posto de saúde                  () ótimo () bom () regular () ruim () péssimo () desconhece

 

Guarda Municipal               () ótimo () bom () regular () ruim () péssimo () desconhece

 

Que sugestões você daria para a prefeitura de Mangaratiba para melhorias do distrito de Conceição de Jacareí?

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Ponencia presentada en el IX Encuentro Internacional Humboldt. Juiz de Fora, Minas Gerais - Brasil. 17 al 21 de setiembre de 2007.


 

                                                                        

 

 

 

 





NUNCA PENSASTE QUE PUDIERA EXISTIR TANTA BELLEZA
Disfruta de una foto diferente de nuestro Cosmos cada dia.
¿Cual será la de hoy? ¡Descúbrela visitando fadd.corank.com ya mismo!