Inicio > Mis eListas > humboldt > Mensajes

 Índice de Mensajes 
 Mensajes 6948 al 6967 
AsuntoAutor
263/06 - Red Geoec Centro H
lic.jose grassi Grassi,
RE: NoticiasdelCeH Grassi,
264/06 - Argenrtin Centro H
266/06 - Uma trist Centro H
265/06 - Brasil -A Centro H
267/06 - Francia - Centro H
268/06 - Francia t Centro H
269/06 - Presentac Centro H
270/06 - “Toma el Centro H
271/06 - Moreno re Centro H
272/06 - VII Simpó Centro H
273/06 - Francia ' Centro H
274/06 - Francia ( Centro H
275/06 - Numerosas Centro H
276/06 - Colombia Centro H
277/06 - Sobre la Centro H
Re: NoticiasdelCeH GEOAMERI
Re: NoticiasdelCeH GEOAMERI
278/06 - Buenos Ai Centro H
 << 20 ant. | 20 sig. >>
 
Noticias del Cehu
Página principal    Mensajes | Enviar Mensaje | Ficheros | Datos | Encuestas | Eventos | Mis Preferencias

Mostrando mensaje 7178     < Anterior | Siguiente >
Responder a este mensaje
Asunto:NoticiasdelCeHu 266/06 - Uma triste constatação do governo Lula / "Ministros são apenas gerentes do capital financei ro"
Fecha:Martes, 4 de Abril, 2006  23:04:18 (-0300)
Autor:Centro Humboldt <humboldt @...........ar>

NCeHu 266/06


Uma triste constatação do governo Lula

Henrique Meirelles e os ministros Roberto Rodrigues (Agricultura) e Luiz Furlan (Indústria e Comércio levarão a política econômica ainda mais para a direita.


O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, não foi demitido por causa da sua política econômica desastrosa, nem pelas acusações de envolvimento com os lobistas da república de Ribeirão. Foi demitido porque não havia como esconder que ficou sabendo da quebra do sigilo bancário do caseiro da casa do Lago Sul, onde, segundo alegam os acusadores, ele se encontrava com os lobistas.

Quebrar o sigilo bancário é um crime, de modo que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva viu no episódio uma boa oportunidade para livrar-se de um ministro que, já de uns tempos, só lhe cria problemas. A esperança é que a demissão permita pôr uma pá de cal na crise política criada com as denúncias do mensalão.

O episódio revela a falha ética que está na raiz da derrocada do Partido dos Trabalhadores (PT): a idéia de que os fins justificam os meios. Não há causa, por mais nobre, que possa justificar a prática de um crime, de uma fraude ou de um ato imoral. O presidente Lula e o PT pagaram caro por esquecer esse princípio.

O sucessor de Palocci, ministro Guido Mantega, um incondicional aliado de Lula, apressou-se em declarar que a política econômica não vai mudar. Como isso é o que interessa aos banqueiros, às transnacionais e aos Estados Unidos, provavelmente a substituição não causará maiores dificuldades ao governo. Aliás, todos os porta-vozes do capital já deitaram declarações para acalmar o “mercado”. E ele ficou mesmo bem calmo.

Com a degola dos envolvidos nos escândalos e a demissão dos seis ministros petistas que irão disputar cargos eletivos nas próximas eleições, e com uma figura apagada no Ministério da Fazenda, Henrique Meirelles e os ministros Roberto Rodrigues (Agricultura) e Luiz Furlan (Indústria e Comércio) vão nadar de braçada. Ganharam força e levarão a política econômica ainda mais para a direita.


Fuente: www.Brasoldefato.combr  .


"Ministros são apenas gerentes do capital financeiro",

 afirma economista

Para Sandra Quintela, a mudança no Ministério da Fazenda não altera a estrutura dos interesses do capital financeiro internacional

Clara Meireles
de São Paulo


Algumas horas após ter assumido o cargo que foi de Antonio Palocci no Ministério da Fazenda, Guido Mantega declarou que a política econômica do país não se altera. De fato, para Sandra Quintela, economista ligada ao Instituto de Políticas Alternativas para o Cone Sul (PACS), a substituição dos ministros não mexe na estrutura dos interesses do capital financeiro internacional.

Quintela acredita que a política externa e o crescimento da dívida pública do Brasil evidenciam que cabe muito pouco aos políticos nacionais na hora de indicar prioridades de investimentos.

"A dívida pública bateu 1 trilhão de reais. Cada centavo de crescimento da dívida significa um centavo tirado das políticas públicas de investimento. Cada vez mais as políticas nacionais não são divididas nacionalmente; são gerentes do grande capital, e nesse sentido, os gerentes têm que executar esse plano que está em curso que é a abertura das economias nossas e de outros países para os interesses dos grandes capitais".

Antonio Palocci pediu demissão como ministro da Fazenda nesta segunda-feira (27). O elemento decisivo pra a sua queda foi a suspeita de um pedido de detalhamento da conta bancária do caseiro Francenildo Santos Costa, que acusa Palocci de ter participado de eventos em casa alugada por ex-assessores na época em que era prefeito de Ribeirão Preto (SP). (Agência Notícias do Planalto)


Fuente: www.Brasildefato.com.br .