Inicio > Mis eListas > humboldt > Mensajes

 Índice de Mensajes 
 Mensajes 19261 al 19280 
AsuntoAutor
=?UTF-8?Q?art=C3=A Stella A
325/21 - Las nueva Centro H
326/21 - PERÍODO D Centro H
327/21 - Convocato Centro H
328/21 - A CHINA É Centro H
329/21 - Presentac Centro H
330/21 - PRODUÇÃO Centro H
331/21 - LINK del Centro H
332/21 - VI Coloqu Centro H
333/21 - CHINA Y A Centro H
334/21 - Conferenc Centro H
335/21 - GEOPOLITI Centro H
336/21 - Anuncio d Centro H
337/21 - O REINO ( Centro H
338/21 - CONSIDERA Centro H
339/21 - La indust Centro H
=?UTF-8?Q?340=2F21 Centro d
341/21 - CONTEXTO Centro H
342/21 - VIAJANDO: Centro d
343/21 - Presentac Centro H
 << 20 ant. | 20 sig. >>
 
Noticias del Cehu
Página principal    Mensajes | Enviar Mensaje | Ficheros | Datos | Encuestas | Eventos | Mis Preferencias

Mostrando mensaje 19609     < Anterior | Siguiente >
Responder a este mensaje
Asunto:NoticiasdelCeHu 330/21 - PRODUÇÃO CIENTÍFICA CHINESA SOBRE AS ECONOM IAS DE AGLOMERAÇÃO PORTUÁRIAS: UMA ANÁLISE DO ESTA DO DA ARTE NA PLATAFORMA SCOPUS
Fecha:Martes, 5 de Octubre, 2021  15:15:27 (-0300)
Autor:Centro Humboldt <noticias @..............org>

NCeHu 330/21

 

PRODUÇÃO CIENTÍFICA CHINESA SOBRE AS ECONOMIAS DE AGLOMERAÇÃO PORTUÁRIAS: UMA ANÁLISE DO ESTADO DA ARTE NA PLATAFORMA SCOPUS

 

Julia Silva

Universidade Federal de Santa Catarina

Florianópolis - Brasil

 

 

INTRODUÇÃO

As aglomerações industriais foram descritas pioneiramente por Marshall (1920), a partir da experiência vista no século XIX na Inglaterra. Weber (1929) contribui para os estudos da localização industrial, assim como Hoover (1936), analisando o papel da localização como crucial para o desenvolvimento da indústria de sapatos e couro dos Estados Unidos da América.

Do século passado para atualidade, o conceito evoluiu e diversas publicações foram desenvolvidas, adicionando novas tipologias (externalidades do tupo MAR, Porter e Jacobs) (PORTER, 1990; JACOBS, 1969). A temática também já foi analisada no caso brasileiro, aplicando releituras ao fenômeno das aglomerações à algumas regiões do país, além de seu impacto nos salários industriais brasileiros. A estes linhas de pesquisa, destaque-se algumas publicações, como Tinoco (2003) e Galinari et al (2007).

Esta investigação insere-se em uma pesquisa de mestrado (em andamento), que busca compreender as economias de aglomeração geradas a partir da instalação do Porto de Itapoá, no nordeste do Estado de Santa Catarina, região sul do Brasil. Ao realizar o levantamento bibliográfico para a escrita da dissertação em questão, observou-se uma robusta publicação sobre economias de aglomeração chinesas, em especial, seu papel de desenvolvimento da economia costeira chinesa.  

Logo, levantou-se a hipótese de quais tendências e o estado da arte do conhecimento chinês sobre o tema. Quais contribuições chinesas poderiam auxiliar a elucidação do tema das economias de aglomeração portuárias? Assim, propõe-se neste texto realizar uma análise do estado da arte das pesquisas chinesas sobre economias de aglomeração portuárias, através de uma análise bibliométrica, tanto qualitativa como quantitativa.

 

OBJETIVOS

Foram elencados três objetivos para a pesquisa: identificação qualitativa-quantitativa das publicações sobre economias de aglomeração chinesas (dos anos 2000 a 2021) na plataforma Scopus; análise das principais contribuições das publicações chinesas para o tema; e por fim, comparação com as publicações nacionais do assunto, a fim de identificar novas tendências e/ou possibilidades para próximas publicações. 

 

METODOLOGIA

Para a realização desta pesquisa, o método utilizado foi a revisão sistemática da literatura e da análise quantitativo-qualitativa. Para tal, um levantamento bibliográfico foi realizado em duas etapas.

A primeira etapa consistiu em uma pesquisa na base de dados científicos Scopus, escolhida por ser uma ampla base internacional de pesquisa científica de caráter interdisciplinar. A pesquisa se deu partir de algumas combinações com operadores booleanos de palavras-chave relacionadas ao objeto desta pesquisa[1] e com o recorte temporal dos anos 2000 a 2021, a fim de buscar as publicações mais recentes. A combinação das palavras-chave resultou em um total de 71 artigos, dos quais, após os critérios de seleção[2], reduziu-se a quantidade de 16 publicações. A análise qualitativa gerou gráficos quanto a evolução das publicações sobre o tema nos últimos vinte anos na plataforma.

Com as publicações já selecionadas e analisadas na plataforma relacionadas ao tema, foi realizada uma segunda etapa do levantamento bibliográfico. A esta segunda etapa foi direcionada a portais e repositórios de universidades, bem como revistas, teses e dissertações. O foco desta segunda etapa foi levantar demais produções que discutissem a evolução do conceito de economias de aglomeração. A esta etapa, também se adicionou trabalhos brasileiros acerca do estado da arte dos conceitos de Arranjos Produtivos Locais e os Clusters.

 

RESULTADOS E DISCUSSÕES

Foram selecionados e analisadas 17 publicações acerca do tema. Confirmou-se pelos resultados apresentados, que o tema está ganhando mais espaço no âmbito acadêmico, visto que a maioria de suas publicações e a curva de aprendizagem pareceu aumentar conforme aproximou-se do ano 2020.

Analisando a quantidade total de publicações acerca do assunto, a quantidade de 17 trabalhos pode ser considerada pequena, quando comparada a outros temas, como clusters. Mas a amostragem permitiu identificar algumas características do pensamento chinês na temática de economias de aglomeração chinesas: seu impacto positivo como indutor da economia de algumas regiões da China e o papel estatal na indução e manutenção do fenômeno.

Destaca-se trabalhos como Pan et al (2021), que avaliaram as mudanças no padrão de assentamento ao longo do rio Liahoe, ao nordeste da China. Atualmente, o rio Liahoe tornou-se uma importante via de transporte, com diversos portos localizados em seu corpo d’agua. Com cada porto sendo um centro, a aglomeração de transportes não só favoreceu o surgimento de aglomerações de instalações de serviço correspondentes, mas também aceleraram o desenvolvimento da economia chinesa:

“com a prosperidade do transporte marítimo do Rio Liaohe, o cinturão moldou uma aglomeração urbana que gradualmente se formou ao longo Rio Liaohe, o que levou ao desenvolvimento econômico do Nordeste da China”. (2021, pg. 3, tradução própria)

            O papel estatal para alavancar o desenvolvimento das economias de aglomeração e, consequentemente, a economia regional chinesa também foi apontada em alguns artigos, com destaque para Hong (2020):

“A formação do cluster não consegue depender unicamente do mercado: o setor precisa de apoio governamental, através do estabelecimento de instituições públicas para o apoiar seu desenvolvimento e formular regulações que garantam seu desenvolvimento sadio” (2020, pg. 281, tradução própria).

 

CONCLUSÕES

A análise das publicações conseguiu elencar algumas características do tema. A primeira inicial diz respeito ao pouco material publicado quando comparado a outros assuntos.

Assim como nas publicações nacionais, verificou-se o impacto positivo das economias de aglomeração em regiões portuárias chinesas como indutor da economia de algumas regiões da China. Entretanto, o papel estatal na indução e manutenção do fenômeno se mostrou mais forte nas publicações chinesas, enquanto que as pesquisas brasileiras demonstraram mais aplicações e discussões para/no setor privado. Salienta-se que ambas as discussões podem se complementar, engrandecendo a temática

Ao final da pesquisa, inferiu-se a relevância do tema para o desenvolvimento da economia costeira chinesa, especial da região nordeste do país. Além, dado as variadas aplicações do tema dentro das publicações chinesas, confirmou-se um caráter interdisciplinar (estudos econômicos, geográficos, oceanográficos, etc.).

 

 

REFERÊNCIAS

Hong, Y.T., 2020. Research on port logistics and coastal economic development. In: Bai, X. and Zhou, H. (eds.), Advances in Water Resources, Environmental Protection, and Sustainable Development. Journal of Coastal Research, Special Issue No. 115, pp. 280-282. Coconut Creek (Florida), ISSN 0749-0208.

HOOVER, E. M. Location theory and the shoe and leather industries. Cambridge: HarvardUniversity Press, 1936

GALINARI, R; CROCCO, M. A.; LEMOS, M. B.; BASQUES, M. F. D. O efeito das economias de aglomeração sobre os salários industriais: uma aplicação ao caso brasileiro. Econ. contemp., Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, p. 391-420, set./dez. 2007

JACOBS, J. The economy of cities. Nova York: Random House, 1969

PAN, B.; ZHAO, D.; LIU, S.; YU, W. Study on the virtual reality evolution of modern settlements along Liaohe River. E3S Web of Conferences 236, 03031 (2021) ICERSD 2020

PORTER, M. E. The competitive advantage of nations. Nova York: Free Press, 1990.

TINOCO, A. Das economias de aglomeração às externalidades dinâmicas de conhecimento: por uma releitura de São Paulo. R. B. Estudos Urbanos e Regionais,

V.5, N.1 – maio 2003.

WEBER, A. Theory  of  the  location  of  industries.  Chicago:  University  of  Chicago  Press,1929.

 

 

Trabajo expuesto durante el XXIII Encuentro Internacional Humboldt “La Cuestión China” – Florianópolis, Brasil - 20 al 24 de septiembre de 2021. MODALIDAD VIRTUAL

Para acceder al video de presentación ingresar al canal del Centro Humboldt: https://www.youtube.com/channel/UCyfxfhPdmoy3nWbFYs4E_nQ

 

 



[1] As palavras-chaves foram: (agglomeratioo economies); (port AND agglomeration economies); (china)

[2] Análise da relevância do trabalho pelo título; resumo/leitura dinâmica e, por fim, disponibilidade do texto na plataforma.