Inicio > Mis eListas > encuentrohumboldt > Mensajes

 Índice de Mensajes 
 Mensajes 3093 al 3112 
AsuntoAutor
95/11 - MODERNIDAD Encuentr
96/11 - O LIXO URB Encuentr
97/11 - “Jogos de Encuentr
98/11 - AS FEIRAS Encuentr
99/11 - ANÁLISE DE Encuentr
100/11 - A PRODUÇÃ Encuentr
101/11 - PANORAMA- Encuentr
102/11 - “AMIGO-IN Encuentr
103/11 - Fronteira Encuentr
104/11 - City tour Encuentr
105/11 - As possib Encuentr
106/11 - A produçã Encuentr
107/11 - A PISCICU Encuentr
108/11 - DIFERENTE Encuentr
109/11 - A FRONTEI Encuentr
110/11 - AS TRANSF Encuentr
111/11 - As novas Encuentr
112/11 - ALGUMAS C Encuentr
113/11 - ESTADO DE Encuentr
114/11 - PROJETO V Encuentr
 << 20 ant. | 20 sig. >>
 
ENCUENTRO HUMBOLDT
Página principal    Mensajes | Enviar Mensaje | Ficheros | Datos | Encuestas | Eventos | Mis Preferencias

Mostrando mensaje 3140     < Anterior | Siguiente >
Responder a este mensaje
Asunto:[encuentrohumboldt] 76/11 - QUEM OUVE O CLAMOR SOCIAL REFERENTE ÀS MUDAN ÇAS CLIMÁTICAS?
Fecha:Sabado, 9 de Julio, 2011  14:10:01 (-0300)
Autor:Encuentro Humboldt <encuentro @..............org>

QUEM OUVE O CLAMOR SOCIAL REFERENTE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS?

 

André Geraldo Berezuk[1]

 

RESUMO

 

A propagação de discursos, idéias, movimentos que conclamam a sociedade para uma mudança de pensamento e de ações, para a consolidação de uma nova forma de conceber e planejar a relação homem versus natureza, ocorre há mais de cinqüenta anos, desde o fortalecimento do movimento ambientalista, na década de 1960. Essa propagação é reforçada por autores como Capra (1996), o qual defende a formação de um novo paradigma ambiental. Todavia, mesmo com todo o afã sociopolítico para com esta questão, a humanidade ainda não modificou significativamente as suas bases e o seu modelo de produção econômica, acelerando a evolução do processo de degeneração ambiental em escala global, sendo seu maior exemplo a figura do próprio aquecimento global antrópico. A maior vítima desta inércia será a população mundial, com a possível concretização das prognoses referentes ao surgimento dos futuros (não tão futuros) refugiados ambientais. Será que, mesmo com a humanidade apresentando um nível de poder tecnológico como nunca antes visto, a população mundial, em especial os mais pobres, sofrerá profundamente pela própria incapacidade e relutância desta humanidade em modificar conceitos e idéias do âmbito ambiental? E com a concretização dessa futura realidade dos refugiados ambientais, qual será a ação dessa mesma humanidade, que originou esse problema com suas escolhas?

 

Palavras-chave: Mudanças climáticas, refugiados ambientais.

 

 

 

ABSTRACT

 

The propagation of ideas and movements which calls the society for the changing of thoughts and actions, for the consolidation of a new way of conceiving and planning the relationship between human being versus nature, is reforced by other authors as Capra (1996), who says about the formation of a new ambiental paradigm. This movement occurs since approximately fifty years ago, since the consolidation of the environmental movement at the 1960´s. Although existing all the socialpolitical efforts for this question, the mankind did not change in fact its bases and models of economical production, and also the mankind did not stop the evolution of degeneration of the environment in global scale; the global warming is a best example of this situation. The major victim of this inertia will be our population, with the likely concretization of the prognoses concerning the far (not so far) environmental refugees. Could the global population, especially the poorest, suffer deeply because its own inability and reluctance in changing environmental concepts and ideas, even if the mankind shows a great developed technological power? Secondly, with the existence of environmental refugees, what will be the action of the mankind that created this problem because its choices?

 

Key-words: climate changes, environmental refugees. 

 

 


[1]     Professor adjunto da Universidade Federal da Grande Dourados – Dourados-MS. Curso de Geografia.


Esta ponencia será presentada en el XIII Encuentro Internacional Humboldt, a realizarse en la Universidad da Grande Dourados, Mato Grosso do Sul - Brasil, entre los días 26 y 30 de setiembre de 2011.